Hacker que ‘grampeou’ Sérgio Moro, afirma foi grampeado pela PF na cadeia

Sem categoria

Enquanto a Polícia Federal ainda investiga se a invasão de aplicativos de mensagens de autoridades ligadas a Lava Jato ocorreu por meio do pagamento de Bitcoins, Vermelho, o principal hacker da operação afirma que a Polícia Federal teria lhe ‘grampeado’ na cadeia.

Segundo informações publicadas pelo jornal O Estado de São Paulo, em 12 de novembro, Vermelho fez várias acusações sobre a Polícia Federal, inclusive de que teria sido privado de direitos como banho de sol, entre outros.

De acordo com Vermelho o impedimento de sair da cela em que está preso na PF seria a instalação de um sistema para grampear o hacker. De fato, o jornal revelou que a corregedoria da Polícia Federal abriu uma investigação para apurar a instalação de um equipamento ilegal de gravação no chuveiro da carceragem da superintendência da PF, em Brasília. 

Na prisão, onde o grampo instalado está sendo investigado, há dois integrantes do suposto grupo hacker de Vermelho,  Luiz Henrique Molição e Thiago Eliezer Martins. Procurada pela reportagem a Polícia Federal ainda não se manifestou sobre o caso.

Como noticiou o Cointelegraph, as investigações da Polícia Federal ainda não encontraram qualquer relação entre Bitcoin, criptomoedas e pagamentos para os ‘hackers da lava jato’.

De acordo com a reportagem uma análise dos computadores, documentos, celulares e demais itens apreendidos pelos investigadores com os quatro suspeitos (um deles réu confesso) de terem invadido contas do Telegram de autoridades ligadas a investigação da Lava Jato, não encontrou, até o momento, ligação entre transações financeiras e o vazamento de mensagens, embora a PF tenha encontrado indícios de que os hackers receberam para realizar o ato.

Confira mais notícias

Fonte Cointelegraph

Last modified: 14 de novembro de 2019